novidades do imposto de renda, irpf 2019, dirpf, contabilidade

Novidades do Imposto de Renda 2019: atualize-se!

O período para entrega da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF) deste ano já está correndo. Mas você já se ligou nas novidades do Imposto de Renda 2019? No post dessa semana a S3R destaca cada uma dessas novidades para você. Se liga!

As novidades do Imposto de Renda 2019 trazem melhorias do próprio sistema e também novas exigências. A obrigatoriedade da vez se refere ao CPF dos dependentes. Na declaração anterior não era exigido o informe do CPF de dependentes abaixo de 8 anos. Entretanto, em 2019, todos os dependentes declarados deverão ter seu CPF informado no corpo da declaração.

A ficha de “Doações Diretamente na Declaração – ECA” que ficava no corpo da declaração, também mudou. Antes ela ficava dentro do “Resumo da Declaração”. A partir desse ano, ela ganhou maior evidência e agora integra o bloco de “Fichas da Declaração”. Essa alteração facilitou a sua visualização por parte do contribuinte.

Se liga nas novidades do imposto de renda para 2019!

A “Ficha de Rendimentos Recebidos de Pessoa Física/Exterior pelo Titular” também sofreu alterações. A coluna intitulada anteriormente de “Outros” agora se chama “Pensão Alimentícia e Outros”. Já a coluna “Dependentes” passou a ser denominada “Quantidade de Dependentes”.

Dentro das novidades do Imposto de Renda 2019 também estão incluídos alguns aprimoramentos do sistema. No quesito “Impressão”, por exemplo, a ordem das abas a serem impressas foram melhor organizados.

A atualização do aplicativo agora é automática, dispensando a necessidade de fazer o download da nova versão. Igualmente, o Receitanet não precisa mais ser instalado separadamente. Isso porque ele foi incorporado ao programa do IRPF 2019.

A impressão do DARF também integra parte das novidades do Imposto de Renda 2019. Todas as quotas do imposto, inclusive as fora do prazo, poderão ser calculadas, inclusive com os acréscimos legais cabíveis.

Os nomes informados na declaração (digitados ou recuperados) também ficarão armazenados, facilitando assim o preenchimento futuro. Entretanto, caso o contribuinte queira desabilitar essa função, basta acessar o menu “Ferramentas” do sistema.

E, para terminar esse ciclo das novidades do Imposto de Renda 2019, é importante falar que agora é possível visualizar a alíquota efetiva. Ou seja, a relação percentual entre o imposto a pagar e o total de rendimentos tributáveis. Agora a alíquota é exibida à esquerda da declaração, facilitando ainda mais para o declarante.

Se você já fez sua declaração, excelente. Mas, se você ainda está em falta com essa obrigatoriedade, não deixe para a última hora. Lembre-se que a não entrega da declaração incorre em multa e não vale à pena passar essa dor de cabeça, certo?

Em caso de dúvidas sobre estas e outras coisas, fale com a gente. Aqui, você pode S3R!

DIRPF, MEI, declaração do IR para MEI, imposto de renda, declaração do imposto de renda, contabilidade, assessoria contábil, leão, receita federal

Declaração do IR para MEI: saiba como proceder

O período de Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF) já começou e com isso surgem algumas dúvidas. Como fica a declaração do IR para MEI? Há a obrigatoriedade de entrega? Como proceder então, diante dessa necessidade?

Antes de mais nada é preciso ressaltar algumas peculiaridades do MEI. Como empresário, o MEI tem a obrigatoriedade do pagamento da DAS e da entrega da Declaração Anual do Simples Nacional. Essas são as obrigações como empresa. Entretanto, como pessoa física, ele tem também a obrigatoriedade de entrega da DIRPF caso seus rendimentos ultrapassem o limite estabelecido.

Contudo, para calcular esses rendimentos, é preciso antes, diferenciar o que pertence à empresa e o que pertence ao empresário. Somente a partir daí será possível saber se há ou não a necessidade da declaração do IR para MEI. E é isso que a S3R esclarece agora, neste post, para você.

A declaração do IR para MEI é obrigatória em caso de rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 no ano base. Ou seja, para a DIRPF 2019, baseia-se nos rendimentos gerados no ano de 2018. Esse valor representa um pouco mais de R$ 2.379,00 mensais. Se você recebeu rendimentos que estão acima desse valor, já pode começar a preparar sua declaração do IR. Se recebeu um valor menor que o estabelecido, pode ficar tranquilo pois não há obrigatoriedade de entrega para você. Lembrando que, mesmo não havendo a obrigatoriedade, não significa que você não possa declarar. Falamos sobre isso anteriormente. Para saber mais clique aqui!

Mas como proceder a entrega da declaração do IR para MEI?

Parece complicado, mas não é. Veja só! Pegue a receita total recebida no ano e deduza todas as despesas vinculadas ao negócio. Água, luz, telefone, valores investidos em compra de mercadorias, locação, tudo isso é válido na hora dessa dedução. Esse é o seu lucro.

Feito isso, é hora de calcular qual parte da sua receita brita estará isenta de imposto. Para isso, basta aplicar a alíquota sobre a receita bruta conforme o tipo de atividade. Para comércio, indústria e transporte de carga a alíquota é de 8%. Para transporte de passageiros, o valor aplicado é de 16%. Já para serviços em geral, aplica-se o percentual de 32%. Esse é o valor que será usado na seção “Rendimentos Isentos – Lucros e Dividendos Recebidos pelo Titular” na sua DIRPF.

Em seguida, subtraia o valor da parcela isenta do lucro encontrado. Esse valor será informado na seção “Rendimento Tributável Recebido de PJ” na sua DIRPF. Caso o empresário possua outros rendimentos além do MEI, estes também devem ser informados na declaração.

Quer um exemplo prático de como fazer esse cálculo? A S3R te dá um!

Suponhamos que um MEI que atue no setor de serviços tenha uma renda bruta anual de R$ 65.000,00. Além disso, suas despesas comprovadas com seu negócio somam R$ 10.000,00.

Assim, ele terá um lucro evidenciado de R$ 55.000,00. Veja:

 R$ 65.000,00  – Renda bruta anual

(R$ 10.000,00) – Despesas comprovadas MEI

R$ 55.000,00  – Lucro

É hora de calcular a parcela isenta. Para isso basta aplicar a alíquota sobre a receita bruta, que no caso, por atuar no ramo de serviços, é de 32%. Dessa forma:

R$ 65.000,00 x 32% = R$ 20.800,00

Finalmente, calcularemos então o valor a ser tributado, deduzindo o valor da parcela isenta do lucro encontrado anteriormente. Saca só:

 R$ 55.000,00  – Lucro

(R$ 20.800,00) – Parcela isenta

 R$ 34.200,00  – Parcela tributável

Como o valor encontrado é maior que o estabelecido, será obrigatória a entrega da declaração do IR para MEI. Assim sendo, ao proceder a declaração devem ser informados os seguintes valores encontrados: R$ 34.200,00 na ficha de Rendimentos Tributáveis PJ e R$ R$ 20.800,00 na ficha de Rendimentos Isentos – Lucros e Dividendos Recebidos pelo titular.

Viu só como é simples a entrega da declaração do IR para MEI? Com toda a certeza, para esclarecer questões como essa, conte conosco. Afinal, aqui você pode S3R!